Tarja Branca - A revolução que faltava

Tarja Branca

De acordo com a produtora Maria Faria Filmes, “brincadeira é coisa séria e não é só assunto de criança. É fazer o que se gosta, valorizar o prazer pessoal, colorir os dias. Vivemos em busca da felicidade e agora resta saber se estamos procurando no lugar certo”.

Tarja Branca é um documentário produzido pela Maria Farinha Filmes, que possui em sua bagagem documentários sobre a infância como O Começo da Vida (2016), Muito Além do Peso (2012) e Criança, a Alma do Negócio (2008), e trata-se de um incrível manifesto pelo direito de brincar da criança.

Com uma analogia irônica aos remédios considerados “tarja preta”, o documentário busca proporcionar uma discussão de que brincar não é um direito somente das crianças, é fundamental em qualquer idade. Através dos depoimentos, o filme explora a importância que devemos dar a este assunto em todas as fases da vida.

“Passamos oito horas por dia fazendo o que não gostamos, para que o mundo funcione” – cita um dos comentaristas. Com toda essa falta de tempo e espaço, o brincar se faz necessário mesmo na vida adulta. O documentário defende o brincar lúdico, descompromissado e inventivo – “Para um mundo doente precisamos de tarja branca, um santo remédio”.

Por Fabrícia Ramos de Freitas