Você tem um ‘cérebro’ na barriga: compreenda a conexão entre as emoções e o sistema digestivo

Intestino segundo cérebro

http://curapelavida.com.br/intestino-segundo-cerebro/

Há uma intensa conexão entre nossas emoções e o sistema digestivo.  Essa complexa relação tem atraído o interesse de cientistas e sido alvo de novas pesquisas.

Formado por 9 metros de comprimento e revestido por uma série de camadas de células nervosas localizadas na parede do tubo intestinal, o Sistema Nervoso Entérico (SNE) abriga cerca de 500 milhões de neurônios e mais de 30 neurotransmissores. Por essa razão, dentro do sistema digestivo humano existe o que alguns pesquisadores denominam como sendo nosso “segundo cérebro”. Nele se processam cerca de 50% de toda a dopamina, e 90% da serotonina presentes no organismo. Esses importantes neurotransmissores estão ligados ao prazer e ao bem-estar, respectivamente, sendo que o desequilíbrio nos níveis de dopamina podem causar compulsão, alucinação e delírio. Quanto à serotonina, sua escassez está ligada a baixa autoestima e depressão, e o excesso resulta em ansiedade.

Pode-se dizer que a região abdominal tem seu próprio gerenciamento, dada à importância da alimentação e seus processos de digestão, absorção e excreção. Além disso, os neurônios do sistema digestivo atuam de modo autônomo ao Sistema Nervoso Central (SNC). Por outro lado ambos conversam através da estrutura de ligação chamada nervo vago¹, de modo que um ‘cérebro’ tem poder de interferência sobre o outro, envolvendo respostas emocionais e comportamentais. É por isso que diante de situação de estresse podemos sentir dor na barriga ou vontade de evacuar. Sem falar na sensação de borboletas no estômago quando se está apaixonado.

Essa intensa conexão entre SNC e SNE envolve ainda uma terceira variante: os microrganismos da flora intestinal, conhecidos como microbiota. As bactérias do intestino chegam a cerca de 100 trilhões, o que, curiosamente, é uma quantidade superior ao número de células do corpo humano.

Através de uma relação benéfica para ambas as partes, as bactérias boas regulam nosso organismo, auxiliando na digestão e na proteção contra infecções, e em troca obtém os nutrientes que precisa para sobreviver.

Bem sabido a crença de que saúde se entra pela boca. Uma rotina alimentar de má qualidade pode deflagrar no desequilibro da microbiota, onde há proliferação das bactérias ruins e morte das boas. Passando pelo cérebro (SNC), essas informações serão processadas, culminando em modificações comportamentais como baixa no humor e na concentração.

Uma das áreas da Psicologia, a Psicossomática, compreende a digestão como uma atividade ligada ao processo utilizado para “digerir” o que vem de fora, ou seja, situações concretas do mundo físico. Em termos filogenéticos, o trato gastrointestinal é o sistema mais antigo do corpo e seu funcionamento e disfunções acabam sendo a via de expressão visceral de como bem ou mal lidamos com nossas emoções.  Assim, a psicossomática interpreta que uma das principais causas dos problemas gastrointestinais é a negação das emoções básicas produzidas diante dos acontecimentos. Sejam elas agradáveis ou desagradáveis, funcionam do mesmo jeito que um alimento que o corpo precisa digerir. Dependendo da emoção experimentada, nosso sistema gastrointestinal é afetado como se fosse um alimento delicioso ou estragado.

Em suma, todas essas informações nos sugerem que levar uma vida saudável, com uma alimentação equilibrada, é tão importante quanto aprimorar as habilidades de administrar adequadamente situações de estresse e de expressão das emoções.

¹ estrutura que passa pelo tórax e liga o sistema gastrointestinal à cabeça

Por: Júlia Feltrin Ivers e Denise Ely Bellotto de Moraes

Referências:

http://super.abril.com.br/saude/seu-segundo-cerebro/

https://amenteemaravilhosa.com.br/emocoes-sao-alimento-afetam-estomago/

http://saude.abril.com.br/bem-estar/a-incrivel-conexao-cerebro-intestino/

ALMODÓVAR, M. A. O segundo cérebro.  ed. vogais, 2015. Disponível em:< http://www.vogais.pt/media/pdf/9789898491411.pdf>