Junk Food X Direitos Humanos

   Junk food

    O que fazer quando famílias são deixadas com duas opções mutuamente exclusivas: viabilidade econômica ou viabilidade de nutrientes? Esse é o cenário que muitas famílias enfrentam todas as semanas ao comprar alimentos.

    Sabemos que existem cerca de 800 milhões de pessoas convivendo com a fome e que mais de 2 bilhões de pessoas sofrem com deficiência de micronutrientes e outras 600 milhões com obesidade, retrato de uma população sem acesso ao Direito Humano à alimentação saudável.

    Hilal Even, representante dos Direitos Humanos da ONU, relata que no âmbito dos direitos humanos, os Estados são obrigados a assegurar medidas eficazes para regular a indústria alimentar, garantir que os espaços de formulação de políticas nutricionais sejam livres da influência do setor privado e implementar políticas abrangentes que combatam a desnutrição em todas as suas formas.

    Isso significa que a obrigação dos Estados vai além de garantir a segurança alimentar. E neste sentido os Estados têm falhado em cumprir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, já que os Objetivos do Milênio foram cumpridos parcialmente.

    Enquanto os Estados não reconhecerem a nutrição como um componente essencial dos Direitos Humanos, não veremos sucesso no combate à fome.

Por Ana Poblacion

Fonte: https://www.washingtonpost.com/world/un-expert-junk-food-is-a-human-rights-concern/2016/10/25/6677f9c2-9ad8-11e6-b552-b1f85e484086_story.html