Violência contra pessoa idosa

Segundo documento elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) um em cada seis idosos é vítima de algum tipo de violência. Este dado faz parte de um relatório publicado na revista Lancet Global Health, que alerta que quase 16% das pessoas com mais de 60 anos sofreram algum tipo de abuso. Tais  números mostram que este tipo de violência vem aumentando, podendo gerar assim custos não só para saúde do idoso como também um grande problema social já que nossa população está envelhecendo.

Fonte da Imagem

A violência contra a pessoa idosa pode ser definida, segundo a OMS, como qualquer ato, ou ainda a ausência de uma ação, que cause dano ou incômodo à pessoa idosa. Para ser considerada como violência contra o idoso o ato pode ser único ou repetitivo e deve acontecer em uma relação em que haja expectativa de confiança.

São considerados tipos de violência contra a pessoa idosa:  agressão física,  abuso financeiro, negligência, abuso sexual e a violência psicológica. A negligência refere-se a recusa ou omissão de cuidados, por parte de seu responsável, familiar ou instituição. Ela é uma das formas mais comuns em nosso país e frequentemente está associada a outros tipos de violência.

Conforme a Lei 10.741, a violência contra pessoa idosa é crime, portanto, não deve ser encarada como algo normal. São necessárias campanhas que levem conhecimento às pessoas com mais de 60 anos, para que eles conheçam seus direitos e tenham voz ativa para se defender. O Disque 100, canal da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, é um meio que pode ser utilizado para denúncias.

Autoria Claudia Sales e Mariany Abreu