Demências e esquecimento na terceira idade

Fonte da imagem

É muito comum encontrar um idoso queixando-se por estar mais esquecido, referindo dificuldade para lembrar nomes de lugares, pessoas e números de telefones. Apesar disso, a maior parte destes indivíduos não apresenta demência. Os familiares mais próximos notam facilmente essas pequenas mudanças na capacidade de lembrar e podem alertar o médico que o acompanha. Ao investigar esses sintomas, o médico, geralmente o geriatra, poderá identificar a causa e iniciar o tratamento.

A demência pode ser caracterizada como uma síndrome que acomete o funcionamento do cérebro. É uma doença crônica, progressiva e acomete várias funções cerebrais como memória, raciocínio, compreensão, capacidade de aprendizado, linguagem e julgamento. Embora o tipo mais comum de demência seja a doença de Alzheimer, existem também outros tipos como a demência vascular, mista, fronto temporal e corpos de Lewi.

Na pessoa idosa, o envelhecimento pode naturalmente cursar com esquecimento e falha da memória. Quando os esquecimentos começam a ocasionar prejuízo importante para o indivíduo e isto interfere na independência e autonomia do idoso pode ser sinal do início do quadro demencial. Diferenciar o início da demência de “memória ruim” faz parte do diagnóstico da doença e deve ocorrer a partir da investigação da rotina do idoso.

Durante a velhice, a demência é uma das principais causas de incapacidade, demandando cuidados durante todo o curso desta doença, que pode muitas vezes resultar na dependência total da pessoa doente. Ao começar o tratamento a família deve ser incluída, pois conhecer o caminhar da doença irá facilitar o convívio, bem como o cuidado do familiar acometido. Pois, a dependência decorrente da evolução da doença é uma das situações que mais acarreta implicações emocionais, sociais e financeiras à família

Reconhecer e comunicar as mudanças de comportamento do idoso facilita o acompanhamento da sua saúde. Fique atento aos detalhes!

Por Claudia Sales e Mariany Abreu

Referências:

BURLÁ, C; ANA AMÉLIA, C; KANSO, S; FERNANDES, D; NUNES, R. Panorama prospectivo das demências no Brasil: um enfoque demográfico. Ciência e Saúde Coletiva, 2013, vol 13, nº10.

Leia mais em: Toda demência é Alzheimer e Demência uma prioridade de saúde pública