Você tem Doença do Refluxo? Saiba Mais sobre esta doença.

 Sabe aquela sensação de queimação no peito ou garganta (azia)? Provável que seja a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE), que é uma doença que ocorre quando a "válvula" entre o estomago e esôfago não se fecha adequadamente e o conteúdo do estômago volta para o esôfago, causando esses sintomas.

Essa doença é a mais comum relacionada ao sistema digestivo, ela atinge cerca de 45% da população ocidental, e este problema é afeta principalmente as mulheres e idosos.

Os sintomas são diversos, mas os principais são azia persistente e a regurgitação de ácidos. Além disso, dor no tórax, rouquidão pela manhã, dificuldades para engolir, tosse seca e mau hálito.  Com os sintomas persistindo toda semana, é importante procurar o acompanhamento do médico gastroenterologista, que fará exames para diagnóstico, e se necessário prescreverá medicamentos para o tratamento da doença e sintomas.

Alguns hábitos no cotidiano podem contribuir para o desenvolvimento da doença, como ingestão de bebidas alcoólicas, sobrepeso, gravidez e fumo. E, alguns alimentos também podem estar associados com eventos de refluxo: Frutas cítricas, chocolate, bebidas com cafeína, frituras e comidas gordurosas, alho e cebola, essências de menta, alimentos apimentados e comidas baseadas em tomate, como molho de espaguete, pimenta e pizza.

Porém, algumas medidas comportamentais também podem ser tomadas para minimizar os sintomas e riscos de desenvolver a doença, ou seja, parar de fumar, parar o consumo de bebidas alcoólicas, perder de peso, fracionar as refeições (pequenas quantidades diversas vezes ao dia), vestir roupas folgadas, evitar deitar-se até 3 horas após uma refeição, elevar a cabeceira da cama cerca de 15 a 20 centímetros do chão, usando blocos de madeira embaixo dos pés da cama. Além dessas, alguns alimentos devem ser evitados como bebidas gasosas que contém cafeína, chocolate e hortelã, comidas apimentadas como a pizza, alimentos ácidos como laranjas e tomates, frituras e alimentos gordurosos.

Medicamentos também podem auxiliar no tratamento, se persistirem, é possível abordar cirurgicamente. Em longo prazo, se não for tratado, pode desenvolver complicações graves, como câncer de esófago, ulceras e sangramentos, cicatrizes e estreitamento do esôfago, entre outras.

doença do refluxo
Fonte: http://www.saudelar.com/edicoes/2009/marco/images/Saude-VaieVolta_fmt.jpg

Por Liliane Mendes e Ailim Kurata

Nutricionistas Residentes em Envelhecimento

 Fonte:

Federação Brasileira de Gatroenterologia. Disponível em: http://www.fbg.org.br/Textos/198/Doen%C3%A7a-do-refluxo-gastroesof%C3%A1gico---DRGE