Nutrição e Envelhecimento

A prevenção das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), a promoção da saúde e a qualidade de vida na população idosa vêm sendo cada vez mais valorizada. O atendimento individualizado por uma equipe gerontológica pode ser essencial para que isto ocorra. A nutrição, em especial, pode auxiliar na promoção de saúde e prevenção das DCNTs nos idosos, visto que nesta faixa etária diversas mudanças fisiológicas e corporais ocorrem e necessitam de cuidados especializados.

O estado nutricional e a alimentação do idoso estão diretamente ligados ao estado de saúde e envelhecimento saudável, porém, alguns fatores podem influenciar o estado nutricional como as próprias alterações corpóreas e incapacidades decorrentes da idade, a presença de doenças, condições sociais, isolamento, estilo de vida pregresso, acesso aos alimentos, entre outros. Juntamente com as mudanças fisiológicas e o estresse psicológico ou físico, estes fatores possuem o potencial de acelerar o avanço de doenças pré-existentes, facilitar o surgimento de infecções e prejudicar a funcionalidade do idoso bem como a sua reabilitação gerontológica.

Atualmente o perfil nutricional dos idosos pode apresentar vertentes opostas como a obesidade presente nos idosos em comunidade, em contrapartida aos institucionalizados e hospitalizados que apresentam maiores índices de desnutrição. Diante disso, a avaliação e o acompanhamento nutricional desta população são essenciais, considerando as suas particularidades e visando o envelhecimento saudável e qualidade de vida.

 

 

 

 Najas M. I Consenso Brasileiro de Nutrição e Disfagia em Idosos Hospitalizados. São Paulo: Minha Editora, 2011

 Por: Ailim Kurata e Liliane Mendes