Governos da América Latina: É necessário priorizar a Saúde Pública

obesidade na américa latina
Fonte: RedeNutri

A obesidade na América Latina atinge cerca de 50% da população e para ajudar no combate esse quadro alarmante o Idec assinou, no começo de junho deste ano, a declaração da Cosumers International, documento que destaca a insistência da indústria alimentícia em dificultar a implementação de políticas públicas para a ação contra essa situação, já comprovada por instituições como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO).

A ideia é criar uma convenção para alimentos saudáveis, semelhante a existente sobre o tabaco, com a finalidade de proteger e propagar os hábitos de uma alimentação saudável, pois segundo o diretor da Consumers International para a América Latina, Juan Triboli “Entendemos que somente com uma convenção deste tipo, aprovada pela OMS, os governos de nossos países terão maior apoio político para enfrentar o lobby da indústria alimentícia e assumir uma posição mais firme”.

Entre as ações propostas está a taxação dos produtos para desestimular o consumo de alimentos não saudáveis e a restrição de publicidade infantil, o que traria inúmeros benefícios a toda a população.

Há a necessidade de que os governos tomem uma posição a favor da saúde da população, pois o combate à obesidade começa com a luta contra aos alimentos obesogênicos, ricos em açúcar, gordura e sal!

Por Priscila Soares e Ianna Lôbo

Fonte: http://www.idec.org.br/em-acao/em-foco/idec-e-consumers-international-pressionam-governos-da-america-latina-a-priorizar-a-saude-publica-acima-de-interesses-comerciais