DIETA DASH: Uma opção para combater a Hipertensão arterial

Combate a hipertensão arterial

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é uma doença caracterizada pelo aumento da pressão arterial. É uma das doenças crônicas não transmissíveis de maior prevalência no mundo e traz graves consequências a saúde da população.

Sua etiologia é multifatorial podendo ter como causa fatores genéticos, obesidade, sedentarismo, o estresse, o consumo de álcool e do tabaco. De grande relevância no desencadeamento desta doença são os maus hábitos alimentares podendo ser destacado o alto consumo de alimentos ricos em gordura saturada e sódio.

A dieta DASH (Dietary Aproaches to Stop Hipertension) é uma dieta que visa diminuir os níveis de pressão sanguínea e minimizar os efeitos que a HAS pode ter na saúde dos indivíduos. Seu padrão dietético já é recomendado pelas organizações nacionais e internacionais para o tratamento de pacientes portadores de hipertensão.

A dieta DASH é rica em frutas, hortaliças, fibras, minerais e laticínios com baixos teores de gordura. Um alto grau de adesão a este tipo de alimentação pela população está sendo responsável pela diminuição dos prevalências de hipertsão em alguns grupos estudados. Os benefícios sobre a Pressão Arterial (PA) têm sido associados ao alto consumo de fibras, potássio, magnésio e cálcio.

Para conseguir os benefícios deste plano alimentar, o indivíduo deve seguir algumas recomendações como por exemplo a diminuição do consumo de gorduras saturadas, colesterol e total de gorduras. Deve também optar por aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras além de atentar ao consumo de leites e seus derivados com baixa quantidade de gorduras. Grãos e sementes devem fazer parte do cardápio semanalmente, além dos peixes e aves. Finalmente, deve-se reduzir o consumo de carnes vermelhas, doces, açúcar de adição e refrigerantes.

Por Juliana Bergamo Vega

Leia o guia completo da dieta DASH no ANEXO e nos links abaixo:

http://www.abeso.org.br/pagina/169/a-dieta-dash.shtml

http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2010/Diretriz_hipertensao_associados.pdf