A obesidade como problema econômico

O que gera mais gastos no mundo: Conflitos armados, terrorismo e guerras, fumo ou obesidade? Com números alarmantes de prevalência e mortalidade mundiais (2,1 bilhão de pessoas e 2,8 milhões de mortes, respectivamente), a obesidade atingiu patamares nunca antes imaginados, chegando a custar 2 trilhões de dólares para todo o mundo, o equivalente a 2,8% de tudo que a economia global produz anualmente.

Custos da Obesidade
Fonte: www.diabeticool.com

Estes custos foram revelados em relatório publicado em novembro pela consultoria McKinsey, os quais se basearam na perda de produtividade econômica e custos para os serviços de saúde, além da necessidade de investimentos a fim de reduzir os impactos causados pela obesidade.

Uma vez que a prevalência de excesso de peso está caminhando para,em 2015, atingir metade da população mundial, a empresa alerta para a primordialidade de intervenções em larga escala ao invés de ações isoladas. Vista como problema de saúde pública mundial, a obesidade deve ser resolvida pela união de forças da indústria, de governos locais e nacionais, e da sociedade civil.

De acordo com a McKinsey, 74 medidas foram criadas para reverter a obesidade e suas doenças associadas, como a reformulação de alimentos processados, a diminuição das porções de fast food, maior investimento em ações educativas focadas em pais, além da adoção de refeições saudáveis em ambientes escolares e de trabalho.

Em resumo, a obesidade deve ser encarada como um problema global, o qual requer medidas urgentes e abrangentes a fim de que se revertam seus impactos na saúde e no bolso da população e dos governos mundiais. Tais medidas devem englobar desde ações pontuais e individuais em relação à atividade física, alimentação saudável e cessação do uso de tabaco e álcool, até ações nacionais e mundiais, como a criação de políticas públicas que visem a qualidade de vida e a mudança de hábitos na sociedade.

 

 

Por Laís Amaral Mais

Leia mais em: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/11/1553927-obesidade-ja-custa-us-2-trilhoes-ao-mundo-aponta-consultoria.shtml