Divulgação da Estratégia Intersetorial de Prevenção e controle da Obesidade

Como já é sabido, a obesidade e o sobrepeso vem aumentando a cada ano, em todas as faixas etárias e regiões, com consequente redução da qualidade de vida, maior carga de doenças e dificuldades para o cotidiano de que é afetado diretamente, para a sua família e a sociedade como um todo.

prevencao da obesidade

A fim de se enfrentar esta situação, foi instituído, no âmbito da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (CAISAN), um comitê intersetorial para discutir ações para a prevenção e controle da doença. Além do CAISAN, participam do comitê o Conselho nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e a Organização Pan Americana de Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

Em maio de 2014 foi divulgada então a “Estratégia intesetorial de prevenção e controle da obesidade”, que contempla recomendações para os estados e municípios nas ações do governo federal que podem contribuir na redução das altas prevalências de obesidade no pais. Dentre as ações, destaca-se a promoção da alimentação saudável e pratica de atividade física no ambiente em que vivemos por meio de grandes eixos de ação:

  1. Disponibilidade e acesso a alimentos adequados e saudáveis;

Exemplos: Apoiar estruturas como: banco de alimentos, unidades de apoio e distribuição de alimentos da agricultura familiar e instituições de ensino; Apoiar estruturas existentes nas Centrais de Abastecimento (Ceasas); Incentivar a organização de feiras de alimentos produzidos localmente, inclusive orgânicos, facilitando o acesso a alimentos adequados e saudáveis da população em geral; etc.

  1. Ações de educação, comunicação e informação;

Exemplos: Implementar a agenda pública de Educação Alimentar e Nutricional prevista no Marco de Referência de EAN para as Políticas Públicas; Difundir os princípios e recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira e do Guia alimentar para crianças menores de dois anos; Elaborar materiais e outros subprodutos dos Guias Alimentares; Desenvolver estratégias de comunicação sobre os riscos associados ao consumo de alimentos ricos em açúcar, gorduras e sal; etc.

  1. Promoção de modos de vida saudáveis em ambientes específicos;

Exemplos: Ações na escola: Realizar educação permanente para agentes do PNAE; Divulgar o Manual das Cantinas Escolares Saudáveis - promovendo a alimentação saudável e estimular as escolas e cantineiros a transformarem as cantinas das escolas privadas em cantinas saudáveis; Realizar adesão ao Programa Saúde na Escola e fomentar que as Equipes de Atenção Básica desenvolvam atividades relacionadas à promoção da alimentação saudável em conjunto com as escolas públicas, etc.

  1. Vigilância Alimentar e Nutricional;

Exemplos: Fortalecer e garantir a Vigilância Alimentar e Nutricional nas redes de atenção à saúde para todas as fases do curso da vida; Adquirir equipamentos antropométricos adequados para a realização da vigilância alimentar e nutricional; Organizar a vigilância alimentar e nutricional nos diversos pontos de atenção da rede de saúde; Alimentar o sistema de informação vigente com os dados de vigilância alimentar e nutricional; etc.

  1. Atenção integral a saúde do individuo com sobrepeso/obesidade na rede de atenção a saúde;

Exemplos: Garantir o cuidado integral ao indivíduo com excesso de peso e obesidade na rede de atenção à saúde; Definir as diretrizes clínicas e organização da linha de cuidado para o tratamento da obesidade na rede de atenção a saúde do SUS, conforme orientação da Portaria

nº 424/GM/MS; Garantir o cuidado integral aos indivíduos com excesso de peso e obesidade de comunidades indígenas, quilombolas e povos tradicionais e populações que vivem em áreas do campo, floresta e rurais; etc.

  1. Regulação e controle da qualidade e inocuidade de alimentos.

Exemplos: Monitoramento dos teores de sódio, açúcares e gorduras em alimentos processados realizados pela ANVISA disponibilizados para a população; Aprimoramento das normas de rotulagem de alimentos embalados para melhorar a visibilidade e legibilidade, facilitando o acesso à informação pelo consumidor; Capacitação dos agricultores familiares sobre a inocuidade dos alimentos com foco no uso de agrotóxicos e transgênicos; etc.

Leia a Estratégia completa aqui  e se informe!

Escrito por: Sarah Warkentin

Fonte: http://www.mds.gov.br/segurancaalimentar/educacao-alimentar-e-nutricional/estrategia-intersetorial-de-prevencao-e-controle-da-obesidade