FDA anuncia o fim da gordura trans

Gordura transA gordura trans, utilizada desde 1950 em muitos alimentos ultraprocessados com o objetivo de aumentar o tempo de prateleira e palatabilidade dos alimentos, já foi associada, em inúmeros estudos, ao aumento do risco de doenças cardiovasculares, e estima-se que ela seja a causa para mais de 50 mil infartos por ano. Por conta desses indicadores alarmantes, a Food and Drug Administration (FDA) já havia divulgado a obrigatoriedade da inclusão da informação nutricional deste tipo de gordura nos rótulos dos alimentos ultraprocessados a partir de 2006. Desde então, algumas empresas reduziram voluntariamente a quantidade de gordura trans nos seus produtos.

Entretanto, muitos produtos ainda a contem em sua composição, principalmente os biscoitos com e sem recheio, bolos prontos, pipoca de micro-ondas, margarina, caldas/coberturas doces, entre outros.

No último dia 16 de junho, a FDA deu um passo além na luta contra a alimentação inadequada: retirar totalmente a gordura trans de qualquer alimento comercializado para o consumo humano. Esta medida tem como objetivo reduzir a incidência de doença coronariana e o crescente número de infartos todos os anos. De acordo com a diretora do FDA Center for Food Safety and Applied Nutrition, Profa Susan Mayne, a atual meta anda de mãos dadas com outras iniciativas da fundação para melhorar a saúde dos americanos, como por exemplo, a elaboração adequado do próprio rótulo nutricional.

A FDA coloca um tempo limite de três anos para que todas as indústrias alimentícias se adequem a estas novas medidas. Ate lá, o consumidor deve desenvolver o hábito de ler o rótulo dos alimentos e listagem de ingredientes. Mesmo que o fabricante inclua os dizeres “0% gordura trans”, é importante lembrar que as empresas podem fazer esta afirmação caso o conteúdo de gordura trans seja menor que 0,5 gramas/porção do produto. Por isso, fique de olho no rótulo de todos alimentos ultraprocessados e faça escolhas conscientes por produtos que contenham menos gorduras (tanto a trans, como também a gordura saturada).

Texto por: Sarah Warkentin e Laís Amaral Mais

Leia a noticia na integra:

 

http://www.fda.gov/downloads/ForConsumers/ConsumerUpdates/UCM451467.pdf