Terapia do sorvete - Você acredita nisso?

Sorveterias oferecem produtos para combater males como cãibras, anemia e gases

Terapia do sorvete

Que sorvete faz bem para o espírito e alivia o peso de um dia quente todo mundo sabe. Mas, recentemente, alguns fabricantes tentam convencer os consumidores de que ele também pode combater anemia, gases e insônia, entre outros benefícios.

Em agosto, auge do verão europeu, uma grande sorveteria artesanal da Espanha lançou 12 sabores de sorvetes chamados de terapêuticos. O de valeriana, erva-cidreira e tília é indicado para reduzir o estresse; para minimizar gases, é sugerida uma bola do de erva-doce.

Na mesma linha, pesquisadores da Nova Zelândia divulgaram em outubro uma pesquisa, em fase de testes clínicos, para o desenvolvimento de um sorvete que ajudaria a combater os efeitos colaterais da quimioterapia. Com o nome Recharge (recarga, em inglês), o produto contém princípios ativos derivados do leite que podem aliviar a diarreia e a falta de apetite dos pacientes que estão em tratamento.

Por aqui, a sorveteria Taperebá, em São Paulo, lança nesta semana cinco sabores que prometem ajudar a saúde. "A preocupação em escolher um produto terapêutico é mundial. Acredito que os brasileiros tenham uma vocação maior para se preocupar com a saúde", diz Rogério Hamam, proprietário da sorveteria.

Para estimular o bronzeado, a empresa criou o sorvete de laranja, cenoura e gengibre, com sabor que lembra o suco da fruta com o legume. Contra cãibras, é oferecida uma mistura de banana, graviola e água de coco -a banana e a água de coco contêm potássio, que ajuda a evitar o problema.

O de abacate com nozes é indicado para auxiliar na saúde do coração, ao fornecer gorduras monoinsaturadas. No entanto, por ser preparada com alimentos calóricos, essa opção deve ser consumida com cautela, pois o excesso de peso também pode causar problemas no sistema cardiovascular. "Todos os sorvetes feitos de frutas naturais poderiam ser chamados de terapêuticos. Mas esses têm uma soma especial de ingredientes. E sorvete é algo agradável para ser consumido, principalmente pelas crianças", defende a nutricionista Aline Silva, consultora da Taperebá, que ajudou a desenvolver os sabores.

A nutricionista exemplifica a teoria com o sorvete sugerido para ser usado contra anemia, preparado com açaí e beterraba, que contêm ferro, e suco de laranja -fonte de vitamina C, que auxilia na absorção do mineral. A opção feita de mel com gengibre é considerada anti-inflamatória.

"O sorvete é um alimento interessante e saudável e é indicado para compor uma dieta equilibrada. Mas entre falar desses benefícios e oferecer uma comprovação científica há léguas de distância", pondera o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia).

A nutricionista Ana Maria Lottenberg, da disciplina de endocrinologia da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), também minimiza os efeitos diretos dos sorvetes terapêuticos. "Existe uma forte tendência em associar nutrientes isoladamente como uma possibilidade de prevenção e de tratamento de diversas doenças, mas isso não significa que, sozinhos, possam ter alguma ação", explica a nutricionista.

Se os especialistas são céticos com relação aos benefícios diretos desse tipo de sorvete, é possível afirmar que, ao menos, consumir o produto ajuda a aliviar um pouco a consciência. Todos são preparados sem gordura do tipo trans e com ingredientes naturais, segundo os fabricantes. Em alguns casos, sorvetes cremosos contêm teores elevados de gordura.

"É bom, desde que faça parte de uma alimentação equilibrada. Se você ingere regularmente iogurte, chocolate com alto teor de cacau, linhaça e peixes, por exemplo, a junção dos compostos bioativos vai favorecer a proteção contra doenças", resume Ribas Filho.

Fonte: Folha de São Paulo, Equilíbrio, São Paulo, quinta feira, 03 de dezembro de 2009