Governo e indústria propõem melhorar alimentos

alimentos industrializados

Representantes do governo e da indústria participaram de um fórum de debates no dia 22 de julho, onde traçaram um pacto de reduzir os teores de gordura trans, sal e açúcar dos alimentos industrializados. O objetivo foi definir alternativas de redução da proporção destes nutrientes, já que segundo o Ministério da Saúde, até 260 mil mortes poderiam ser evitadas anualmente com a alimentação saudável da população.

Medidas como estas já foram instituídas em outros países, e decorrem de uma exigência não só da saúde pública, mas também do próprio consumidor, cuja tendência é de fato aumentar a exigência na qualidade nutricional das suas aquisições.

Porém o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou que o processo de mudança não ocorre em pouco tempo, pois exige estudos da composição e reflexão sobre as alternativas de se atingir tal objetivo, sobretudo no que se trata da manutenção da palatabilidade.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) já iniciou a análise do perfil nutricional de 23 alimentos industrializados, incluindo embutidos, laticínios, salgadinhos prontos, biscoitos, bebidas, farinhas e refeições prontas. O Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) ficou encarregado de analisar 40 amostras de cada alimento selecionado a fim de identificar o teor de açúcar, gorduras saturadas e trans, sódio, ácido fólico e ferro.

Espera-se que após o fórum as indústrias encontrem o quanto antes tais alternativas, pois a obesidade se mantém em contínua progressão, fator certamente também influenciado pelo aumento do consumo de alimentos industrializados, confirmado em todos os inquéritos nacionais, cuja composição não garante oferta energética e de nutrientes satisfatória.

Leia na íntegra: http://www.brasil.gov.br/noticias/em_questao/.questao/eq679a/

Texto elaborado por: Giovana Longo e Maysa Toloni