Reduzir o consumo de açúcar traz benefícios à saúde

doencas cronicas nao-transmissiveis

As doenças crônicas não transmissíveis respondem por 35 milhões de mortes por ano sempre associadas à adoção de estilos de vida modernos que incluem dietas com excessos de gordura, açúcar e sal além do sedentarismo.

Acreditava-se até recentemente que a obesidade era a principal causa das doenças associadas, porém os pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Francisco publicaram um comentário na revista Nature mostrando que 20% dos obesos têm o metabolismo normal e 40% dos indivíduos com peso normal manifestam as alterações que compõem a síndrome metabólica: diabetes, hipertensão, dislipidemia, doença cardiovascular e doença do fígado gorduroso não-alcoólica. Dessa forma, observaram que a obesidade não é a causa, mas sim um marcador para a disfunção metabólica, que ainda é mais prevalente.

Os autores revelam que assim como o tabaco e o álcool, o açúcar é um fator perigoso e danoso à saúde do ser humano. Eles referem que por esse motivo estaria justificada a venda controlada de alimentos que contém açúcar, limitando seu comércio em escolas, assim como a definição de uma idade mínima para compra de refrigerantes.

Infelizmente esta não é uma tarefa fácil, já que vários fatores estão envolvidos, por ser o açúcar um alimento relativamente barato, ter sabor agradável, vender facilmente e haver pouco apoio às campanhas de incentivo a mudanças.

Portanto, a redução do consumo de açúcar evitaria danos à saúde por meio de atitudes como preferir uma fruta ao invés de um doce, ingerir água no lugar de refrigerantes ou simplesmente reduzir aos poucos a adição deste alimento e adaptar o paladar.

Leia mais em http://www.nature.com/nature/journal/v482/n7383/full/482027a.html

Texto elaborado por Adriana de Sousa Nagahashi