Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Você conhece??

O Sistema Único de Saúde (SUS) publicou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS (PNPIC) contemplando as áreas de homeopatia, plantas medicinais e fitoterapia, medicina tradicional chinesa/acupuntura, medicina antroposófica e termalismo social – crenoterapia, para promover a institucionalização destas práticas no Sistema Único de Saúde. 

Praticas integrativas no SUS

Fonte imagem

Segundo o Ministério da Saúde, esta política foi elaborada a partir do atendimento das diretrizes e recomendações de várias conferências nacionais de saúde e das recomendações da Organização Mundial da Saúde.

A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS, vinculada ao Departamento de Atenção Básica, tem como diretrizes:

1. Incorporar e implementar as Práticas Integrativas e Complementares no SUS, na perspectiva da prevenção de agravos e da promoção e recuperação da saúde, com ênfase na atenção básica, voltada ao cuidado continuado, humanizado e integral em saúde;

2. Contribuir ao aumento da resolubilidade do Sistema e ampliação do acesso à PNPIC, garantindo qualidade, eficácia, eficiência e segurança no uso;

3. Promover a racionalização das ações de saúde, estimulando alternativas inovadoras e socialmente contributivas ao desenvolvimento sustentável de comunidades e;

4. Estimular as ações referentes ao controle/participação social, promovendo o envolvimento responsável e continuado dos usuários, gestores e trabalhadores nas diferentes instâncias de efetivação das políticas de saúde.

Todas as ações decorrentes dessa política enfatizam o entendimento e valorização da multiculturalidade e interculturalidade, por gestores e profissionais de saúde, para maior equidade e integralidade da atenção à saúde. Ao considerar o indivíduo em sua singularidade e inserção sociocultural, busca produzir a atenção integral e também o entendimento e respeito de pessoas com culturas diferentes, fazendo com que as diversas atividades possam ser facilitadas e promovidos.

Experiências exitosas de práticas como arteterapia, meditação, naturopatia, fitoterapia, medicina tradicional chinesa, reflexologia, shantala, biodança, dança circular, auriculoterapia, terapia comunitária e musicoterapia (falamos sobre os benefícios desta terapia para idosos  em outra matéria) estão sendo compartilhadas por vários municípios  do Brasil.

Diante disso, procure uma Unidade Básica de Saúde, ou informe-se com a Equipe de Saúde da Família da área de sua residência, e atualize-se das atividades que acontecem próximo a você! O SUS é para todos!

Autoria Ianna Lôbo