Novas recomendações americanas sobre a oferta de sucos para crianças

Em relatório recentemente divulgado na revista científica Pediatrics, a Sociedade Americana de Pediatria (American Academy of Pediatrics – AAP) recomendou que se evite o oferecimento de sucos para crianças menores de um ano, mesmo aqueles naturais.

sucos

Fonte da imagem

De acordo com a AAP, sucos não oferecem benefício nutricional e não desempenham papel em uma dieta balanceada destas crianças, uma vez que não apresentam fibras, minerais ou proteínas. Crianças a partir de seis meses de idade devem receber a fruta integral, que contem fibras e, portanto, processam melhor seus açúcares, o que ajuda a aumentar a sensação de saciedade no organismo e apresenta menor chance de causar cáries no bebê.

Sucos naturais, espremidos diretamente da fruta, podem ser parte de uma dieta equilibrada para crianças a partir de um ano, respeitando os seguintes volumes:

1)     1 a 3 anos de idade: até 118 mL/dia 

2)     4 a 6 anos de idade: entre 118 e 177 mL/dia

3)     7 a 18 anos: até 237 mL/dia

Outra preocupação em relação ao consumo de sucos no primeiro ano de vida advém da substituição que a criança pode fazer de leite materno, fórmula infantil e/ou outros alimentos mais adequados do ponto de vista nutricional, ricos em proteínas, gorduras e minerais. Isto pode causar tanto desnutrição como excesso de peso. A introdução precoce de sucos pode também desencadear o consumo de outras bebidas não saudáveis, como sucos artificiais e refrigerantes.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) tem recomendação semelhante há mais tempo. O “Manual de Orientação do Departamento de Nutrologia: Alimentação - do lactente ao adolescente; alimentação na escola; alimentação saudável e vínculo mãe-filho; alimentação saudável e prevenção de doenças; e segurança alimentar” chama a atenção para a oferta de sucos de fruta, como segue:

1)     6 meses a 2 anos de idade: os sucos naturais devem ser evitados, mas, se forem administrados, que sejam oferecidos no copo, apenas após, e não durante, as refeições principais, e não em substituição a estas, em dose máxima de 100 mL/dia, com a finalidade de melhorar a absorção do ferro não heme presente nos alimentos como feijão e folhas verde-escuras;

2)     2 a 6 anos de idade: os sucos naturais podem ser oferecidos eventualmente, na quantidade máxima de 150 mL/dia, devendo-se estimular o consumo de frutas como sobremesa;

3)     7 a 10 anos de idade: Os sucos naturais, quando oferecidos, não devem ultrapassar a quantidade máxima de 240 mL/dia, sendo que uma porção de fruta equivale a aproximadamente 180 mL de suco.

Desta forma, as famílias devem ser orientadas de que o leite materno, e/ou a fórmula infantil e a água são suficientes para o requerimento de líquidos de crianças menores de um ano. Após esta idade, sucos naturais espremidos da fruta podem ser ofertados não excedendo as quantidades mencionadas acima.

Autoria: Laís Amaral Mais e Ana Poblacion

Leia mais aqui