Disgeusia: paladar do idoso

Disgeusia

Fonte da Imagem

Os alimentos que consumimos causam uma complexa resposta do corpo humano. A habilidade de sentir sabor é composta pela soma de impulsos sensoriais como gosto (gustação), cheiro (olfação) e sensação tátil (mastigação e deglutição). Ao longo da vida, nosso corpo perde gradativamente a percepção e a distinção das informações sensoriais, consequentemente levando ao declínio da percepção do paladar. Qualquer alteração do paladar é chamada de disgeusia.

O envelhecimento das estruturas gustativas, com diminuição dos botões gustativos na papila (estrutura responsável por captar o gosto do alimento), levam ao natural declínio na capacidade de sentir e distinguir os sabores. Essas mudanças anatômicas alteram o limiar de sensação do sabor, fazendo com que o idoso aumente a quantidade de sal ou açúcar adicionados ao alimento, para contrabalancear a sensação de doce ou salgado perdida. Além disso, o consumo de diversos medicamentos alteram o paladar e causam disgeusia, visto que mais de 250 fármacos tem como efeito colateral a mudança no olfato ou paladar.

Em estudo realizado na cidade de Ipatinga (MG), com 203 idosos, constatou que a maior prevalência de alteração da percepção do sabor estava entre os sabores salgado e doce, cerca de 40%. Os idosos que utilizavam mais de três medicamentos, tinham chances duas vezes maior de ter a percepção do sabor doce alterada. A boca seca (xerostomia), também comum no envelhecimento e causada por alguns medicamentos, pode causar o agravamento da disgeusia.

Embora seja comprovadamente uma situação recorrente no dia a dia dos idosos, a disgeusia pode passar despercebida durante a anamnese clínica e o cuidado diário. Assim temos dois cenários possíveis decorrentes da mudança de percepção do sabor:

-            Agravamento e difícil controle de doenças crônicas decorrente do consumo exagerado de sal (hipertensão) ou açúcar (diabetes);

-            Redução do apetite, seguido de emagrecimento, e consequente diminuição da funcionalidade (movimentar-se de forma independente).

Estratégias devem ser usadas para prevenir o alto consumo de sal e açúcar decorrente da disgeusia:

1.         Consumo de frutas em substituição de doces;

2.         Utilização de adoçante no caso de idosos com diabetes;

3.         Diminuição de alimentos e temperos industrializados;

4.         Retirar o saleiro da mesa, evitando a adição diretamente no prato.

5.         Incluir temperos naturais ao dia a dia;

O uso do sal de ervas, no lugar do sal comum, pode ser uma opção ao uso de temperos industrializados (em sachês ou tabletes), abaixo uma receita fácil, disponibilizada pela Prefeitura de São Paulo.

 

Sal de ervas

Ingredientes: 

·       1 pacote (10g) de alecrim seco

·       1 pacote (10g) de manjericão seco

·       1 pacote (10g) de manjericão seco

·       1 pacote (10g) de orégano seco

·       1 pacote (10g) de salsinha seca

·       4 colheres de sopa (100g) de sal comum

Modo de preparo: Bater os ingredientes no liquidificador. Guardar em pote de vidro bem fechado. Usar no lugar do sal comum.

Para garantir a melhor adequação à dieta, consulte um nutricionista.

Autoria: Claudia Sales e Mariany Abreu

Receitas com menos sal e mais sabor: Campanha de consumo consciente de sal