A fim de frear o excesso de peso, Chile aprova a proibição da publicidade de alimentos não saudáveis na TV

O Chile é hoje um dos países com mais indivíduos com sobrepeso ou obesidade: 74,2% segundo a última Pesquisa Nacional de Saúde do Ministério da Saúde chileno.

Com o intuito de frear essas taxas, no dia 28 de novembro a presidente Michelle Bachelet assinou um decreto que proíbe a publicidade de alimentos com excesso de calorias, sal, gorduras e açúcar na televisão aberta e fechada entre às 6h e às 22h, e também nas salas de cinema.

Esta medida soma-se a outros esforços chilenos para o enfrentamento da obesidade no país, como a inclusão de alertas de advertência na rotulagem frontal de alimentos com alto teor de açúcar, calorias, gorduras saturadas e sódio. Tal medida foi aprovada por decreto em 2015 e inclui ainda a proibição de personagens infantis ou outras imagens que estimulem o consumo, brindes, alegações de benefícios à saúde e a distribuição gratuita, além da venda destes alimentos em escolas.

É importante lembrar que o Chile é pioneiro na adoção de estratégias para o combate à obesidade e deve servir de modelo, inclusive para o Brasil. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pretende aprovar novas normas para a rotulagem nutricional de alimentos no próximo ano e exemplos como o chileno devem ser levados em consideração para o aprimoramento das regras brasileiras.

Publicidade de alimentos não saudáveis

Fonte da imagem

Autoria: Laís Amaral Mais

Leia mais aqui.