São os pobres os que mais sofrem

  • Imprimir

Nestes meses que tenho passado aqui nos Estados Unidos, percebo que não há diferença entre países chamados em desenvolvimento e desenvolvidos. Ambos fazem pouco caso da população de baixa renda, reforçando os altos índices de insegurança alimentar, adultos e crianças passam fome por falta de dinheiro para comprar alimentos em quantidade e qualidade adequados.

Isso está acontecendo, pois ambos governos fazem malabarismos para equilibrar os interesses dos setores social e privado. Por um lado, apoiam a rede de segurança alimentar e a erradicação da fome, por outro lado,cortam benefícios quer em valor ou em quotas, como "moeda de troca" para conseguir a aprovação de outras políticas.

Tanto os EUA quanto o Brasil têm programas paliativos e emergenciais que buscam minimizar o sofrimento humano enquanto não se concretizam mudanças de médio e longo prazos como a educação de qualidade, a capacitação para o trabalho e a oferta de salário mínimo condizente com padrões aceitáveis de dignidade humana.

Está na hora de atacarmos as raízes a fim de erradicar a fome no mundo!

Leia mais: http://www.childrenshealthwatch.org/2014/07/need-public-money-poverty-food-insecurity-brazil/

E comentários sobre este artigo em: http://www.takepart.com/article/2014/07/11/learning-from-brazils-fight-against-food-insecurity

Por Ana Paula Poblacion

seguranca alimentar