Violência contra pessoa idosa

Segundo documento elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) um em cada seis idosos é vítima de algum tipo de violência. Este dado faz parte de um relatório publicado na revista Lancet Global Health, que alerta que quase 16% das pessoas com mais de 60 anos sofreram algum tipo de abuso. Tais  números mostram que este tipo de violência vem aumentando, podendo gerar assim custos não só para saúde do idoso como também um grande problema social já que nossa população está envelhecendo.

Fonte da Imagem

A violência contra a pessoa idosa pode ser definida, segundo a OMS, como qualquer ato, ou ainda a ausência de uma ação, que cause dano ou incômodo à pessoa idosa. Para ser considerada como violência contra o idoso o ato pode ser único ou repetitivo e deve acontecer em uma relação em que haja expectativa de confiança.

São considerados tipos de violência contra a pessoa idosa:  agressão física,  abuso financeiro, negligência, abuso sexual e a violência psicológica. A negligência refere-se a recusa ou omissão de cuidados, por parte de seu responsável, familiar ou instituição. Ela é uma das formas mais comuns em nosso país e frequentemente está associada a outros tipos de violência.

Conforme a Lei 10.741, a violência contra pessoa idosa é crime, portanto, não deve ser encarada como algo normal. São necessárias campanhas que levem conhecimento às pessoas com mais de 60 anos, para que eles conheçam seus direitos e tenham voz ativa para se defender. O Disque 100, canal da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, é um meio que pode ser utilizado para denúncias.

Autoria Claudia Sales e Mariany Abreu

Sistemas alimentares e nutrição: a experiência brasileira para enfrentar todas as formas de má-nutrição – Publicação da OPAS

   Fonte imagem

 

   A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) lançou no final de novembro deste ano (2017) a publicação intitulada:  “Sistemas alimentares e nutrição: a experiência brasileira para enfrentar todas as formas de má-nutrição”.

   Esta publicação é resultado de uma cooperação técnica da OPAS com as autoridades brasileiras e sociedade civil através de “desenvolvimento de capacidades, produção e sistematização de evidências e boas práticas em alimentação e nutrição”.

   O material aborda as ações, políticas e programas que tiveram sucesso no Brasil nos últimos anos. O Programa Bolsa Família, Política Nacional de Alimentação e Nutrição, Programa Nacional de Alimentação Escolar, estão presentes na publicação.

   A OPAS afirma que: “a institucionalização da segurança alimentar e nutricional e a proteção do direito humano à alimentação adequada no Brasil são uma referência global, por conta de estratégias que reduziram de forma expressiva a fome, a desnutrição e a subalimentação nos últimos anos”.

   A publicação está disponível para download grátis. Não deixe de conferir!

Autoria: Ianna Lôbo

Terapia Ocupacional no envelhecimento

Como sempre destacamos no Portal Estilo de Vida Saudável, cuidar de idosos é uma atividade que requer atenção de diversas áreas do conhecimento entre elas a nutrição, a enfermagem, a fisioterapia, a psicologia, o serviço social e a terapia ocupacional. A terapia ocupacional é uma das mais novas entre essas profissões citadas.

Fonte da imagem

 Esta uma profissão da área da saúde que promove a prevenção, o tratamento e a reabilitação de indivíduos com alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras. Assim o terapeuta ocupacional tem por objetivo avaliar e buscar reestabelecer tais perdas, reajustando o indivíduo ao meio social em que ele vive.

No envelhecimento uma série de mudanças pode tornar o idoso menos participativo nas atividades do dia a dia. Portanto, reintegrar ativamente o idoso à vida que o cerca é o objetivo central da Terapia Ocupacional, trazendo novas possibilidades de vivência à rotina do idoso.

A maior parte das doenças que ocorrem durante o envelhecimento, como Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC), doença de Parkinson, doença de Alzheimer, diversos tipos de demências, doenças reumáticas e sequelas decorrentes de doenças crônico-degenerativas como o diabetes e neoplasias, apresentam grandes ganhos quando o idoso é acompanhado pelo terapeuta ocupacional.

O acompanhamento terapêutico busca o restabelecimento o funcionamento máximo do corpo de cada indivíduo, compreendendo a singularidade de cada caso. Por meio da manutenção das funções corporais, melhora das funções dos músculos e articulações, com o objetivo de promover independência física, principalmente, em atividades da vida diária. Para tanto, o terapeuta ocupacional idealiza e adapta os equipamentos auxiliares para o idoso, como por exemplo, o uso de próteses auditivas, amplificadores de som, talheres ou utensílios de cozinha, utensílios que auxiliam na vestimenta e também em atividades de lazer. Contribuindo para a manutenção destas atividades.

 

Autoria: Claudia Sales e Mariany Abreu

Colesterol bom, Colesterol ruim...O que isso quer dizer?

O assunto dessa vez é o colesterol. O que é? Pra quê serve? Colesterol bom? Colesterol ruim? 

A recomendação geral continua sendo ter bons hábitos alimentares, praticar atividade física regularmente e manter o peso corporal dentre de uma faixa saudável.

fonte da imagem

 Um vídeo claro, objetivo e divertido, aproveite!

 Por Júlia Feltrin Ivers

 

A fim de frear o excesso de peso, Chile aprova a proibição da publicidade de alimentos não saudáveis na TV

O Chile é hoje um dos países com mais indivíduos com sobrepeso ou obesidade: 74,2% segundo a última Pesquisa Nacional de Saúde do Ministério da Saúde chileno.

Com o intuito de frear essas taxas, no dia 28 de novembro a presidente Michelle Bachelet assinou um decreto que proíbe a publicidade de alimentos com excesso de calorias, sal, gorduras e açúcar na televisão aberta e fechada entre às 6h e às 22h, e também nas salas de cinema.

Esta medida soma-se a outros esforços chilenos para o enfrentamento da obesidade no país, como a inclusão de alertas de advertência na rotulagem frontal de alimentos com alto teor de açúcar, calorias, gorduras saturadas e sódio. Tal medida foi aprovada por decreto em 2015 e inclui ainda a proibição de personagens infantis ou outras imagens que estimulem o consumo, brindes, alegações de benefícios à saúde e a distribuição gratuita, além da venda destes alimentos em escolas.

É importante lembrar que o Chile é pioneiro na adoção de estratégias para o combate à obesidade e deve servir de modelo, inclusive para o Brasil. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pretende aprovar novas normas para a rotulagem nutricional de alimentos no próximo ano e exemplos como o chileno devem ser levados em consideração para o aprimoramento das regras brasileiras.

Publicidade de alimentos não saudáveis

Fonte da imagem

Autoria: Laís Amaral Mais

Leia mais aqui.